A reforma da Praça da Liberdade iniciada no último ano de mandato da gestão passada, em 2017, tinha um prazo estimado de 90 dias para ser entregue a população, o que não aconteceu.

Desde o início da sua gestão, a prefeita Zulma Pinheiro tentou agilizar para que a reforma da Praça fosse retomada. O poder público sabia da necessidade da reforma, pois a praça é um dos principais pontos da cidade, com movimento comercial e outras atividades

O que se sabe é que a gestora do municipal, Zulma Pinheiro conseguiu autorizar a retomada da tão sonhada reforma para alegria de todos.

A reforma foi retomada pelo projeto original e desde o início do mês de abril que os trabalhos estão sendo desenvolvidos.

Nesses últimos dias, a equipe responsável pela obra se deparou com a necessidade da derrubada de algumas árvores, o que acabou gerando questionamentos por parte de alguns.

Nesse sentido, se sabe que a partir da necessidade de retirada das árvores, a Secretaria Municipal de Agropecuária e Abastecimento de Itanhém, através do Departamento de Meio Ambiente emitiu uma autorização que viabilizando a Secretaria de Infraestrutura a derrubada de 04 (quatro) árvores e 5 (cinco) palmeiras na Praça da Liberdade.

A autorização de N°005/2019, explica que motivos para a derrubada dessas árvores foi que durante o processo de revitalização da praça foram identificados que as mesmas se encontram com as raízes expostas e comprometida pelo cupim em fase final de vida, colocando em perigo a vida de terceiros.

A partir dessa ação houve uma compensação, onde serão plantadas 08 (oito) mudas de espécie ipê mirim e outras espécies de plantas paisagísticas no entorno da Praça da Liberdade.

O Secretário de Turismo e Meio Ambiente, Ivan Curvelo, foi entrevistado pelo TV Itanhém e explicou sobre essa situação. Segundo ele, toda ação foi feita sob a legalização, seguindo as legislações ambientais vigentes.

“No projeto paisagístico da Praça consta que algumas arvores poderiam ser eliminadas por conta das suas raízes exportas e por apresentar na parte interna (subterrânea), a presença de cupins que por sua vez coloca em risco a vida de terceiros. Achamos então por bem, colocar a segurança da população em primeiro lugar ”, disse o secretário.

O Secretário de Desenvolvimento Econômico, Omar Martins, também comentou a respeito da necessidade desta ação. Confira no vídeo a baixo:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here